Pra quem quiser me visitar....
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
  • Padaria da Esquina, a nova casa de Vitor Sobral em São Paulo: minhas impressões
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • A hora do chá no Le Meurice, em Paris
  • Berlim, de bocado em bocado
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • Lenha no fogão: comida e memória no sul de Minas Gerais
  • Fazenda do Serrote: refúgio na divisa entre Rio e Minas Gerais
Segunda, 20 Maio 2013

Esquina Mocotó, a nova casa do chef Rodrigo Oliveira em São Paulo

Esquina Mocotó Rodrigo Oliveira

Em março do ano passado, em visita ao Engenho Mocotó, soube do novo restaurante que o chef Rodrigo Oliveira planejava abrir na Vila Medeiros, na mesma rua que abriga o Mocotó. Rodrigo e seu parceiro constante na cozinha do Engenho, o chef Julien Mercier, me contaram, então, sobre os testes de pratos que já realizavam àquela altura. A curiosidade se instalou. Convivi com ela por mais de um ano. Semana passada, após alguns adiamentos e algumas mudanças no conceito original, a casa foi finalmente inaugurada.

O Esquina Mocotó é, pra dizer o mínimo, uma iniciativa corajosa. Rodrigo, que considero um dos mais talentosos chefs em atuação no Brasil, conquistou todos os louros depois de assumir o comando do restaurante do pai, o Mocotó, um dos meus favoritos no país. Podia deitar em berço esplêndido, mas optou por sair da zona de conforto. Ousou abrir, exatamente ao lado do consagrado restaurante da família, um novo espaço, com conceito bastante diferente do primeiro. O catalisador das ideias ali esquadrinhadas me parece ser a mesma brasilidade que sempre o conduziu em suas intervenções no Mocotó. Mas o horizonte aqui é outro. Livre dos parâmetros de uma cozinha regional, o chef assimila um universo maior de referências e digere essa brasilidade a partir de uma perspectiva própria, com liberdade para conceber um trabalho mais autoral.

Esquina Mocotó Rodrigo Oliveira

Estive lá, como convidada num jantar fechado, organizado pela jornalista Alexandra Forbes, onde Rodrigo apresentou uma prévia do novo trabalho. Portanto, no relato que faço agora, não tenho a pretensão de uma análise crítica. Quero voltar em breve, num dia de funcionamento normal do restaurante, para, então, poder tirar maiores conclusões. Por ora, apenas compartilho aqui um pouco do espírito do Esquina Mocotó.

O enxuto cardápio, que tem na qualidade do produto sua maior estrela, sofrerá mudanças semanalmente ou de tempos em tempos. Nele, o único prato importado da carta do Mocotó são os incontornáveis dadinhos de tapioca com queijo coalho.

Esquina Mocotó

A entrada batizada de “A Porcaria” é senha de felicidade para quem, como eu, for amante de carne de porco. Uma tábua de madeira traz salame, presunto cru de Catanduva, terrine de porco, picles de cebola, compota de cebola roxa e uma nova versão dos dadinhos, em que se adiciona carne de porco à receita. Sim, ainda tinha como ficar melhor...

Esquina Mocotó

Não deu pra ir em frente sem pedir bis.

Experimentamos, ainda, pratos como o tutano com vinagrete de língua, acompanhado de pães feitos na casa...

Esquina Mocotó

A saborosa panelinha de moela...

Esquina Mocotó

O ovo mole com cogumelos, legumes e caldo de galinha...

Esquina Mocotó

Os delicados nhoques de mandioca com quiabo, tucupi e queijo de cabra.

Esquina Mocotó

Encerramos com o frescor do ótimo sorvete de cajá em purê de manga.

Esquina Mocotó

Deixo aqui uma confissão. Embora, racionalmente, soubesse ser improvável, alimentava a expectativa de encontrar na carta a deliciosa cartola do Mocotó – pra mim, sua melhor sobremesa. Nem em Pernambuco experimentei tão boa. Tornou-se obrigatória nas minhas visitas à casa, tanto quanto os famosos dadinhos. Não foi dessa vez. Quem sabe na próxima visita?

 

Esquina Mocotó – Av. Nossa Senhora do Loreto 1108 – Vila Medeiros - São Paulo

Comentários:
em 20-05-2013
por: Fernando Lucas Prudente Martins
Texto e fotos inspirados.. deu vontade de conhecer o Esquina Mocotó..bjos
em 20-05-2013
por: Alhos, passas e maçãs
Constance,
espero conhecer logo a Esquina Mocotó.
Enquanto não vou, lhe agradeço o texto e o princípio ético inarredável. Salvo engano, você foi a única (lá presente e que escreveu sobre) a mencionar o fato de que se tratou de convite e que isso impede avaliação crítica.
Nos tempos bicudos que vivemos, é fundamental.
Beijos!
em 20-05-2013
por: Constance
Quero saber suas impressões quando for, Alhos. Se calhar, combinamos lá nosso próximo almoço em São Paulo. Beijos.
em 21-05-2013
por: Alfredo Eb
Olá Constance.
Faz tempo me pergunto porquê eu não conhecia um presunto cru artesanal brasileiro de qualidade. Esse "de Catanduva" selecionado pelo Rodrigo Oliveira promete. Tem mais informações ? Obrigado.
em 21-05-2013
por: Constance
Alfredo, o nome do produtor de catanduva é Salamanca. O site é: http://www.salamanca.com.br/
em 24-05-2013
por: Maria das Graças
Uau! Eu ainda não conheço o Mocotó. Através desse post voce deu o empurrão que faltava para que eu aproveite o frescor da estação e vá lá. O tutano e a panelinha de moela estão uma tentação. Belas fotos. Parabéns!
em 21-08-2013
por: Suemys
Estive lá ontem, já sou frequentadora do mocotó, e fiquei maravilhada com o novo restaurante, a comida é uma delicia, o atendimento é otimo, o preço é bom.
O problema agora é ter que escolher em qual ir...rs
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: