Pra quem quiser me visitar....
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
  • Padaria da Esquina, a nova casa de Vitor Sobral em São Paulo: minhas impressões
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • A hora do chá no Le Meurice, em Paris
  • Berlim, de bocado em bocado
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • Lenha no fogão: comida e memória no sul de Minas Gerais
  • Fazenda do Serrote: refúgio na divisa entre Rio e Minas Gerais
Quinta, 30 Janeiro 2014

De volta ao Arturito

Arturito

Fazia mais de quatro anos que eu não ia ao Arturito. Nesse período, o restaurante passou por algumas mudanças, ajustes na proposta, inclusive no que diz respeito aos preços. Não as acompanhei de perto, mas ousaria dizer que, quaisquer que tenham sido as reformulações promovidas ao longo desse tempo, fizeram bem à casa.

O cardápio trafega por diferentes referências, tendo como aparente norte a intenção de oferecer comida descomplicada, calorosa e boa. Comida que acolhe, não intimida. E isso é costurado de ponta a ponta: desde o conceito da cozinha até a opção por um trabalho que seja o mais artesanal possível: quase tudo o que chega à mesa, dos pães aos sorvetes, é feito ali, fruto do calor das mãos de seus cozinheiros.

Começamos com as deliciosas lulas crocantes, assadas no forno a lenha, servidas com aïoli.

Arturito

Seguimos com a empanada salteña, de ótima massa e recheio saboroso.

Arturito

Finalmente, aquela que considerei a melhor das três entradas, talvez mais por gosto pessoal do que por qualquer outra razão. Adoro merguez, adoro berinjela. O que dizer das duas coisas juntas? Ali, a merguez artesanal ganha a providencial companhia da berinjela assada e, ainda, o frescor do creme azedo.

Arturito

A investida na seção mais substanciosa do cardápio teve como alvo o gostoso sanduíche de barriga de porco com picles, aïoli e rúcula. O pão me pareceu tostado demais, difícil de romper pra acessar o recheio numa bocada só, como pede todo bom sanduíche. Este, pra mim, o único senão.

Arturito

O desfecho do jantar veio na forma de uma das combinações que mais me agradam: laranja e chocolate. O bolo úmido de chocolate amargo contracenava com uma compota de kinkan e ganhava uma colherada da coalhada feita na casa. Uma delícia.

Arturito

Sem dúvida, um endereço que faria parte da minha rotina se eu vivesse em São Paulo.

 

Arturito – Rua Artur de Azevedo, 542 - Pinheiros

http://www.arturito.com.br

 

Comentários:
em 04-02-2014
por: Aristoteles
Não moro em SP, mas costumo ir com alguma frequência ao Arturito. É impressionante a consistência e refinamento (sem firulas) do restaurante. E tudo isso a preços justos.

Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: