Pra quem quiser me visitar....
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • A hora do chá no Le Meurice, em Paris
  • Berlim, de bocado em bocado
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • Lenha no fogão: comida e memória no sul de Minas Gerais
  • Fazenda do Serrote: refúgio na divisa entre Rio e Minas Gerais
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
  • Padaria da Esquina, a nova casa de Vitor Sobral em São Paulo: minhas impressões
  • The Slow Bakery, o café
Segunda, 11 Junho 2012

Matando fomes em Inhotim

Inhotim

Muitas coisas – muitas mesmo – me impressionaram em Inhotim. Entre elas, a estrutura de alimentação à disposição do visitante. É raro ver algo parecido em museus e complexos culturais Brasil afora. Bem, o fato é que Inhotim não é propriamente um museu, é imensamente mais que isso. E, pra falar a verdade, ali, a gente às vezes quase esquece que é Brasil...

Inhotim

Inhotim

Inhotim

É claro que vi uma ou outra lanchonete meia boca, mas, no geral, o quesito gastronomia não escapou ao olhar criterioso com que tudo foi concebido no parque. Não que a comida seja especialmente boa. Não é isso. A questão é que, além de haver uma boa gama de opções, os espaços são extremamente agradáveis e sempre integrados ao exuberante cenário. Produziram-se ambientes que vão além de simples locais onde matar a fome antes de seguir, às pressas, pra próxima instalação. São lugares onde se tem prazer de ficar. Não circulei por todos eles (além dos dois restaurantes principais, há lanchonetes, omeleteria, pizzaria e café), mas foi o que percebi por onde andei.

Um simples ponto de venda de cachorro-quente, em Inhotim, não é um simples ponto de venda de cachorro-quente...

Inhotim

Inhotim

É parada providencial antes ou depois de se deslumbrar com a arte de Adriana Varejão...

Inhotim

Inhotim

Inhotim

No restaurante Oiticica, o mais próximo da entrada do parque – dela separado por um belíssimo lago –, o serviço é de bufê por quilo e o projeto arquitetônico, de tirar o chapéu. O amplo e moderno salão é completamente integrado à paisagem.

Inhotim

Restaurante Oiticica Inhotim

Restaurante Oiticica Inhotim

Restaurante Oiticica Inhotim

Restaurante Oiticica Inhotim

Inhotim

Os jardins vizinhos ao restaurante convidam a uma caminhada na companhia de Hélio Oitica e Edgard de Souza...

Inhotim

Inhotim

O outro restaurante do complexo, o Tamboril, foi meu pouso no dia em que almocei por lá. Menos monumental que o Oiticica, mais intimista. Tão acolhedor que, quando nos demos conta, já havíamos passado mais de uma hora ali...

Restaurante Tamboril Inhotim

Restaurante Tamboril Inhotim

Restaurante Tamboril Inhotim

O bufê tem muitas opções de pratos frios e alguns poucos pratos quentes. A comida não é especial, mas é bastante razoável. Mais gostosa e mais fresca que a de certo bufê famoso de Belo Horizonte, onde tive a infelicidade de comer no dia seguinte...

Restaurante Tamboril Inhotim

Restaurante Tamboril Inhotim

Mas o que importa mesmo é andar por ali em busca de saciar fomes de outra ordem. Fome de arte, de beleza, de contemplação. Inhotim resolve todas elas. Como poucos lugares no mundo.

Inhotim

Inhotim

Inhotim

Inhotim – Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico
http://www.inhotim.org.br/

 

As atualizações do blog também estão no meu twitter.

Comentários:
em 27-06-2013
por: Lilian de Abreu Paulo
Comi no restaurante por kilo e achei a relação custo x benefício bem boa.
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: