Pra quem quiser me visitar....
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • A hora do chá no Le Meurice, em Paris
  • Berlim, de bocado em bocado
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • Lenha no fogão: comida e memória no sul de Minas Gerais
  • Fazenda do Serrote: refúgio na divisa entre Rio e Minas Gerais
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
  • Padaria da Esquina, a nova casa de Vitor Sobral em São Paulo: minhas impressões
  • The Slow Bakery, o café
Segunda, 29 Abril 2013

Cozinhando Escondidinho, no Recife

Cozinhando Escondidinho Rivandro França

A casa de Rivandro França na zona norte do Recife é lugar simples, muito simples, mas tem caráter. O cardápio (que veicula preços pouco praticados hoje em dia, quase inacreditáveis para uma capital brasileira), é um mapeamento sentimental da cozinha regional pernambucana. Tem sururu, escondidinho, carne de sol, cuscuz de milho, galinha de cabidela, sarapatel, farofa de bolão, baião de dois, bode guisado... As referências da cozinha tradicional estão todas ali, mas tudo acomodado sob a perspectiva de Rivandro, o que se sente na concepção de certos pratos, na apresentação de outros.

Cozinhando Escondidinho Rivandro França

A vontade era experimentar tudo. Difícil escolher. Confesso que até agora me arrependo de não ter voltado uma vez mais pra provar outros pratos. Mas não adianta lamentar. Como diria o poeta, o tempo só anda de ida...

Começamos com um par de escondidinhos. O de macaxeira com carne de sol era cremoso e delicado, mais gostoso que o de banana com carne de sol.

Cozinhando Escondidinho Rivandro França

Seguimos com o “sururu de quenga pra baixo”.

Cozinhando Escondidinho Rivandro França  Cozinhando Escondidinho Rivandro França

Então, um saboroso sarapatel de porco. Para amparar o molho, um pão (como manda o figurino) e farofa de bolão, receita em que se mistura água quente à farinha, produzindo o resultado que justifica o nome. Mais pernambucano, impossível.

Cozinhando Escondidinho Recife

Cozinhando Escondidinho Recife  Cozinhando Escondidinho Recife

O “baião de nós” trazia arroz, feijão verde, carne de sol e calabresa, tudo puxado na manteiga de garrafa e coroado por um belo pirão de queijo coalho. Não sobrou um grão no prato.

Cozinhando Escondidinho Recife

Pra aumentar a satisfação daquele momento, a companhia de uma grande jarra de refresco de graviola e uma brisa mansa atravessando as largas janelas dos fundos da casa.

Por fim, duas sobremesas. A primeira, doce de macaxeira, mel de engenho, coco e cachaça, servido quente com sorvete de creme. O sorvete não era bom, mas o doce, uma delícia.

Cozinhando Escondidinho Recife

E, claro, não sairíamos sem pedir uma cartola, em versão batizada de “cartixeira”. Banana dourada, queijo coalho, queijo manteiga, doce de macaxeira, tudo misturado, flambado em cachaça e finalizado com mel de engenho. Não resulta um prato bonito, mas o que importa é que é muito gostoso. O mel de engenho era tão bom que comprei uma garrafinha pra trazer comigo.

Cozinhando Escondidinho Recife

Durante todo o almoço, fui acompanhada pelo sentimento de estar num lugar autêntico, comandado por um cozinheiro que põe verdade no que faz e não tem a pretensão de ser o que não é. Coisa cada vez mais rara nos dias de hoje.

Cozinhando Escondidinho Recife

Cozinhando Escondidinho – Rua Conselheiro Peretti 106 – Casa Amarela. Tel. (81) 8618-6781 / (81) 9669-3924

Comentários:
em 29-04-2013
por: Carolina
Bom dia, Constance! Fico feliz em saber que você foi tão bem servida em um lugar simples, porém dedicado, em minha cidade. Dá para perceber em suas palavras, como você ficou satisfeita. A propósito, estarei no Rio com Henrique no fim de maio e posso levar os Bricelets para você...
em 29-04-2013
por: Constance
Puxa, Carolina, que gentileza. Não seria muito abuso meu, aceitar? ; )
em 29-04-2013
por: Maria das Graças
Constance, senti saudades de Recife lendo este post. Voce sabia que tem um delicioso mel de engenho aqui no Hortifruti do nosso bairro? É gaúcho, a marca é Guimarães, a embalagem é pequena e é delicioso.
em 29-04-2013
por: Constance
Oi, Maria. Obrigada pela dica, vou procurar o mel de engenho no Hortifruti.
em 30-04-2013
por: Carolina
Constance, será um prazer. Nas minhas viagens, as malas sempre vão e voltam cheiam de comida... Se você quiser que eu leve, mande um e-mail para mim, que a gente combina um forma de eles chegarem até você.
em 30-04-2013
por: Renata Queiroga
Lendo esse texto, só dá vontade de ser cada vez mais pernambucana!!!! Amo o Cozinhando o Escondidinho e a cozinha de Rivandro!
em 03-05-2013
por: Merél
Mas que beleza de comida, e que graça de lugar! Amei!
em 20-05-2013
por: rivandro frança
bom dia! só tenho que agradecer sua visita e essa linda materia, em nome dos sabores de Pernambuco estaremos sempre felizes com sua visita. grande abraço Rfrança.
em 19-07-2013
por: Roberto pinto
Estive ontem a noite , dia 18/07 , pois na Internet vi que funcionava à noite mas estava tudo fechado.
Qual é o horário de funcionamento ?
att
em 18-09-2013
por: Andre Leitao
Abre de quarta a domingo.
Das 12:00 as 16:00;
em 26-09-2013
por: MAGDALA
ADORO ESCONDIDINHO, COMIDA REGIONAL É TUDO DE BOM!ESTOU ANCIOSA PARA CONHECER ESSE LUGAR.
em 30-06-2015
por: Neide Dourado
Tudo de bom,tinha que ser coisa do Nordeste,nele só nsci e não conheço muito bem essa culinária,pretendo conhecer de pertinho e levar minha familia,huuummmmmmmmm,delicia!!!!!!
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: