Pra quem quiser me visitar....
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • A hora do chá no Le Meurice, em Paris
  • Berlim, de bocado em bocado
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • Lenha no fogão: comida e memória no sul de Minas Gerais
  • Fazenda do Serrote: refúgio na divisa entre Rio e Minas Gerais
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
  • Padaria da Esquina, a nova casa de Vitor Sobral em São Paulo: minhas impressões
  • The Slow Bakery, o café
Terça, 08 Abril 2014

Casa de Tereza, em Salvador

Casa de Tereza Salvador

Como disse no post anterior, minha experiência no Casa de Tereza não foi tão feliz como havia sido meu jantar no restaurante de Tereza Paim na Praia do Forte. Eu seria injusta se dissesse que comi mal ali, mas também não posso dizer que tenha me entusiasmado. Nem deixar de observar que ambiente e serviço colaboraram pra comprometer a noite. Talvez tenham até mesmo turvado minha percepção da comida. Afinal, o grau de satisfação com uma refeição envolve fatores que extrapolam o que está no prato.

O serviço confuso, extremamente lento e profundamente ruidoso, contribuiu pra arruinar o ritmo do meu jantar. Quanto ao ambiente, confesso que me soou inadequada a música ao vivo no salão. Talvez lhes pareça ranzinice minha, mas eu observava as bandejas de moquecas e bobós circulando ao som de um pianista tocando “My Way” e me perguntava se não havia alguma desconexão naquela cena.

Dito isso, vamos à cozinha.

Cogitamos revisitar a ótima moqueca que havíamos comido no Terreiro Bahia no dia anterior (os cardápios das duas casas têm muito em comum), mas acabamos decidindo experimentar outras coisas.

O couvert trazia beijus, biscoitos de polvilho e manteiga. Com ele, ótimas farinhas e pimentas que nos acompanharam ao longo de todo o jantar.

Casa de Tereza Salvador

Casa de Tereza Salvador

As telhas de beijus com gratinado de siri não eram más, mas não chegavam a ser boas.

Casa de Tereza Salvador

No quesito frituras, o bolinho intitulado “Negão”, embora um pouco pesado, era muito gostoso: massa de feijão e recheio feito das carnes do feijão processadas com pedacinhos de couve.

Casa de tereza

As lascas de carne de fumeiro eram muito saborosas, mas o caramelo de laranja, doce demais, comprometia o equilíbrio do prato.

Casa de tereza

A maior satisfação da noite veio com o impecável escondidinho de batata baroa com fumeiro. O creme, amanteigado, era um veludo. O recheio, uma delícia. Quase pedi bis.

Casa de tereza

Considero voltar ao Casa de Tereza numa próxima visita a Salvador. Quem sabe, experimentar seu menu degustação da cozinha de santo, que me pareceu interessante. Só torço pra não encontrar os mesmo problemas.

 

Casa de Tereza - Rua Odilon Santos, 45 - Rio Vermelho – Salvador

http://www.casadetereza.com.br/

Comentários:
em 22-04-2014
por: Joaquim Almeida
Quando eu estive lá ,comi uma bela moqueca de siri mole ,estava muito saborosa . Sobre o serviço ,o restaurante segue a tradição nordestina : gentil ,lento e confuso.Abs
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: