Pra quem quiser me visitar....
  • Du Pain et des Idées: minha padaria do coração em Paris
  • Nordisk Brødhus: meu melhor café da manhã em Copenhague
  • Clamato, a nova casa do chef Bertrand Grébaut em Paris
  • Duas vezes Frenchie: Frenchie to Go e Frenchie Bar à Vins
  • Copenhague em pequenos bocados
  • Artesanal: para onde aponta a cozinha de Roberta Sudbrack em 2014
  • Relæ, em Copenhague: pequeno notável
  • Pirouette: oásis em Les Halles
  • Noma, o lendário restaurante do chef René Redzepi em Copenhague: minhas impressões
Terça, 19 Fevereiro 2013

Septime

Septime Paris

Meu recente almoço no Septime foi desses momentos pouco comuns em que um restaurante a respeito do qual já temos um arsenal de referências alcança – e até transcende – nossas expectativas. Passei cerca de um par de horas observando Bertrand Grébaut e sua jovem equipe. Conduzem ali um trabalho que revela uma visão atual da culinária francesa, viva e fresca, mas fruto de uma abordagem sóbria e sem resquício de vanguardice. Os pratos são o que são, dispensam descrições longuíssimas. Não há nada a nublar a percepção do comensal, a quem se revela uma cozinha de execução sofisticada, ainda que tudo seja permeado por boa dose de simplicidade – ou justamente porque permeada por essa bem-vinda simplicidade, que encontra o tom no delicado trato com o produto. Pontos de carnes e peixes impecáveis. Vegetais abordados com raro zelo. Queijos cuidadosamente adquiridos de mãos que sabem dedicar a eles o tempo e o respeito que merecem.

Tudo isso se revelou a mim num menu de três cursos. A rigor, seis, se considerarmos que jamais me limito ao meu lado da mesa, se é que me entendem.

Septime Paris

O ovo em baixa temperatura se rompia sobre um leve purê de batatas, coroado por pedacinhos de presunto, ervas e pangrattato.

Septime

O sublime tataki de carne tinha a fundamental companhia de anchovas, ramos de couve-flor e lâminas de amêndoas tostadas.

Septime

Quanto ao prato principal, não tive dúvida. Havendo carne de porco (no caso, pluma ibérica), ainda mais na presença de lentilhas – e, diga-se, de um gostoso naco de aipo-rábano assado –, dificilmente minha escolha recairia sobre outra proposta.

Septime

Do outro lado da mesa, badejo em ponto irrepreensível, mas quase sem sal. Os vegetais, mais do que coadjuvantes, me pareceram as verdadeiras estrelas daquele prato. Especialmente, as endívias e o delicadíssimo purê de cenoura.

Septime

No prato de queijos, um delicioso queijo de ovelha que eu já não saberia dizer exatamente qual era. Até porque minha atenção foi roubada pelo Bleu des Causses, dos melhores queijos azuis que já experimentei.

Septime

Finalmente, ganache de chocolate amargo, acompanhada de pedaços de pera e maçã e de um inesquecível sorvete de pera.

Septime

Eu olhava a indolor conta de pouco mais de 30 euros por pessoa e pensava no quão mais já gastei em menus que, muitas vezes, mesmo após dez, quinze pratos, não me diziam a que vinham. E isso me dava certeza de que o Septime me verá novamente.

 

Septime – 80 rue de Charonne – 11ème

http://septime-charonne.fr/

 

Comentários:
em 19-02-2013
por: yara xavier
Constance, tudo me pareceu maravilhoso. Principalmente a conta! Com os escandalosos preços praticados em São Paulo por restaurantes que mais parecem por kg,é de chorar! Pergunto: com vinho (ou isso seria pedir demais)?
em 19-02-2013
por: Constance
Yara, a carta do Septime tem algumas opções em taça a bons preços. Dependendo da sua escolha, mesmo com uma taça de vinho a conta fica abaixo dos quarenta euros. No almoço, ressalto. O menu do jantar é mais longo e mais caro.
em 20-02-2013
por: Renata Queiroga
Constance, estava com o Septime na minha lista de restaurantes a vistar em Paris e, mesmo diante do fato de ver várias referências, ainda estava um pouco insegura, mas agora, não tenho a menor dúvida. Septime na cabeça!
em 21-02-2013
por: Katia Albuquerque
Já comecei a anotar as suas sugestões. Irei em setembro e vou querer muitas dicas.Precisou de reserva?
em 21-02-2013
por: Constance
Katia,precisa reservar, sim, mas épossível fazer pelo site do restaurante, 3 semanas antes da data.

Renata, vou passar lá pra ler o post sobre o Can Roca ;)
em 22-03-2013
por: Lu
Oba, mais um!! Q bom q dá p/resevar. Lembra do Le Comptoir du Relais? Foi uma novela, mas conseguimos uma desistência! Só q a conta foi bem mais salgada! Parabéns pelas suas descobertas!
em 04-07-2013
por: Miguel Pires
Foi muito interessante ler uma boa parte dos seus posts sobre Paris já depois de chegar de uma semana na cidade. Dos neo-bistrots o Septime surpreendeu de muito bom (fiz o menu de degustação), o Rino foi interessante mas a alguma distancia do Septime e o Le Chateaubriand, uma autentica desilusão para não dizer, um insulto! Envio-lhe o link quando escrever sobre ele. Se entretanto quiser conferir as minhas impressões, deixo-lhe este link: http://mesamarcada.blogs.sapo.pt/499893.html
Um beijinho
Miguel Pires
em 05-07-2013
por: Constance
Miguel, acompanhei sua viagem pelo Instagram e percebi muitas consonâncias em nossas opiniões. Curiosa pra ler seu post sobre o Le Chateaubriand, que, pra mim, também foi uma desilusão...
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: